Buscar
  • wevolt

Ford cria perfume com cheiro de gasolina para donos de carros elétricos

FONTE: EXAME

Por Gabriel Aguiar

Publicado em: 20/07/2021 às 11h07 Alterado em: 21/07/2021 às 18h42

É provável que os carros elétricos se tornem obrigatórios na Europa – e, no Brasil, um a cada dez carros vendidos serão livres de emissões até 2030. Mas a Ford criou uma solução para quem sentir a nostalgia: um perfume com cheiro de gasolina. E pode parecer uma ideia inusitada, só que, segundo a marca, 70% dos proprietários do elétrico Mustang Mach-E GT admitiram sentir falta do aroma no dia a dia.


Não a toa, o produto foi apresentado ao mundo durante a estreia do SUV no mercado europeu, durante o tradicional evento Goodwood Festival of Speed, no Reino Unido. Não é nenhuma surpresa que essa é uma estratégia de marketing (e, por isso, não será comercializado). De acordo com os norte-americanos, a ideia é relembrar como seria dirigir modelos com motores a combustão, sem emitir poluentes. SUV elétrico: nova versão foi apresentada na Europa SUV elétrico: nova versão foi apresentada na Europa (Ford/Divulgação) O Mach-Eau – repare no trocadilho – foi desenvolvido pela consultoria Olfiction, junto à perfumista Pia Long, membro da Sociedade Britânica de Perfumistas e responsável pelas criações de algumas das mais famosas marcas do setor. E, segundo os especialistas, além do combustível derivado de petróleo, foram incluídas notas de borracha e também de cavalos, como referência à família esportivos da Ford. Para chegar à combinação, os criadores do perfume analisaram quimicamente a cabine dos veículos. E o resultado foi benzaldeído, um composto de aroma amendoado que remete ao “cheiro de carro novo”, e paracresol, componente derivado do alcatrão de hulha e que lembra o aroma de pneus. Também foram utilizados gengibre azul, lavanda, gerânio e sândalo para incorporar as notas de metal e fumaça. Durante o lançamento do Mustang Mach-E, no fim de 2019, executivos da Ford confirmaram à imprensa que o SUV elétrico também deveria chegar às lojas brasileiras. Desde então, a marca fechou fábricas por aqui e mudou a estratégia para nosso mercado – apostando em veículos mais caros e refinados. Por isso mesmo, é provável que o modelo elétrico chegue ano que vem, ainda que não esteja confirmado. No caso da configuração topo de linha GT, o SUV tem dois motores elétricos, capazes de entregar 487 cv de potência e 86,7 kgfm de torque. Para ter ideia, é mais que o esportivo Mustang Mach-1, de motor V8 5.0 com 483 cv e 56,7 kgfm, comercializado a 523.950 reais nas concessionárias do país. Como resultado desse conjunto, o utilitário (livre de poluentes) pode acelerar de zero a 100 km/h em 3,7 segundos.

2 visualizações0 comentário