Buscar

Teste: Já aceleramos a BMW CE-04, maxi-scooter elétrica futurista

FONTE: INSIDE EVS


por: Julio Cesar



Por: Julio Cesar

Por: Mael Pilven Traduzido por: Julio Cesar

Quando o BMW Concept E foi introduzido há 10 anos, a mobilidade elétrica ainda estava longe das preocupações dos compradores. No entanto, a BMW foi uma das pioneiras ao revelar três anos depois, em 2014, o modelo de produção derivado do estudo: o C Evolution. Uma pequena revolução na época como o primeiro maxi-scooter zero emissão do segmento. E agora, com a mobilidade elétrica no centro das atenções, a BMW está de volta com uma segunda geração da scooter elétrica. E para causar impacto e ficar um passo à frente de uma concorrência que avançou bastante, a marca bávara ousou no estilo do BMW CE-04. Mas o que esconde esse olhar futurista? Será que este veículo duas rodas é mesmo o melhor aliado da mobilidade urbana? Para descobrir, nossos amigos do InsideEVs França foram às ruas ensolaradas de Barcelona, Espanha, para testar a scooter que está fortemente cotada para vir ao Brasil. Belo visual O BMW CE-04 não deixa ninguém indiferente. E as más línguas que viram no Concept Link de 2017 apenas o delírio de um designer sem futuro devem se sentir constrangidos quando vêem o modelo recém-lançado. Um pouco mais maduro que o protótipo, o modelo de produção aposta em um estilo próprio: assento plano, carenagem cheia de recortes e visual super agressivo - a scooter leva o minimalismo ao extremo. E temos que admitir que é muito bem sucedida na tarefa! Com o risco de chocar algumas pessoas que certamente não irão gostar. Puro preconceito! Alguns detalhes se destacam mais do que outros, como o aro fechado na roda traseira, o assento que parece estar suspenso e o espaço aparente entre o assento e o compartimento do capacete logo abaixo dele. O para-brisas laranja remete ao esquema de cores da scooter, mas tem mais significado simbólico, como veremos durante o teste. E como estamos falando de cor, vale citar que a CE-04 de série é branca no configurador. Para ter a bela pintura cinza antracite, terá que optar pelo opcional Avantgarde Style a 225 euros (R$ 1.305). Assento bonito, mas não muito confortável De pé em seu suporte lateral, que fica oculto quando levantado, a BMW CE-04 é fácil de subir, com seu assento de 78 cm de altura. Note que o assento está disponível em 6 configurações diferentes, mais curto ou mais longo, com ou sem encosto para o condutor ou garupa, mais ou menos acolchoado, aquecido... Na verdade, o assento, plano como uma chapa, poderia ser um pouco mais confortável, e talvez um pouco mais largo. De frente para o motorista, dois nichos: um à esquerda para acomodar e conectar um smartphone (com ventilação por favor!), que se comunicará com o sistema informação e entretenimento, e outro à direita que abriga a tomada Tipo 2 pronta para receber até 6,9 kW. Entre os dois, a BMW conseguiu integrar um soquete de 12 volts. Ao contrário do conceito, que tinha uma tela que circundava a base do guidão, o BMW CE-04 posiciona sua tela TFT de 10,25 polegadas logo atrás. A tela é fácil de ler mesmo sob claridade intensa e inclui o quadro de instrumentos, navegação, computador de bordo, multimídia e etc. Tudo isso pode ser facilmente controlado a partir dos comandos no lado esquerdo do guidão, um botão giratório e outro para o menu. Tecnologia do BMW i4 e iX Antes de passar à parte mecânica, vamos começar por decodificar o nome da scooter: CE-04. O "C" significa a linha de scooters da BMW, o "E" significa "elétrico" e o "04" é uma espécie de equivalência ao deslocamento de uma scooter com motor a combustão. Neste caso, corresponderia a uma 400cc. A BMW CE-04 está disponível em duas versões: A1/B com potência de 11 kW (15 cv) e até 23 kW (31 cv), o que torna o modelo apto a quem possui habilitação para modelos de 125 cc na Europa. A versão que testamos está disponível apenas com uma licença de motocicleta A2, com potência entre 15 kW (20 cv) e 31 kW (42 cv). Em ambos os casos, o torque é de 6,3 kgfm. A nova scooter elétrica BMW tem uma capacidade de bateria de 8,9 kWh e um alcance de 130 km. Quanto ao tempo de carregamento, conte com 4h20 de 0 a 100% em 10A, ou 1h40 com o carregador rápido opcional de 30A. É uma pena que ela não venha com um carregador rápido DC, mas a BMW explica que isto teria adicionado peso ao veículo duas rodas. Aceleração relâmpago Uma vez que tiramos (e colocamos) nosso capacete, que cabe no baú acionado eletricamente sob o assento, e com a chave em nosso bolso, pressionamos o botão central para dar vida à scooter. Tudo o que resta é colocar sua mão no freio e pressionar o acelerador para mover a CE-04. Por padrão, ela funciona no modo Eco, que se revelará muito suave e tranquilo à medida em que você circula entre os carros no trânsito das principais ruas de Barcelona. Mas você logo perceberá que, mesmo neste modo, a scooter é muito ágil! O freio motor permite que você reduza até quase parar completamente e é muito agradável para manter a velocidade no trânsito. Outro ponto positivo que você pode sentir imediatamente é o baixo centro de gravidade, que lhe dá confiança para fazer manobras rápidas entre os carros, e a direção também é ideal com um bom ângulo de esterçamento. Tenha cuidado com as dimensões imponentes desta maxi-scooter, que tem mais de dois metros de comprimento! A posição de pilotagem é agradável, há espaço para as pernas se esticarem na frente, enquanto o guidão é fácil de segurar. Também é muito silenciosa quando se anda pela cidade, tanto para o piloto quanto para quem vai na garupa, apesar de um leve assobio quando se acelera. Ao sair da cidade, testamos os diferentes modos de condução, apesar de um botão no lado direito do guidão que não é fácil de acionar e te obriga a soltar o acelerador, o que pode ser bastante estranho considerando o nível de frenagem do motor! Não vamos tentar o modo Rain para pistas escorregadias, pois o tempo estava muito bom em Barcelona durante nosso teste, mas o modo Road, que proporciona uma aceleração um pouco mais suave e baixa o nível do freio motor. Você sente imediatamente um impulso mais direto que o prende ao guidão e é, de fato, recomendado para andar em áreas extra-urbanas. Finalmente, o modo Dynamic me impulsiona à frente de qualquer outra scooter na estrada, até uma Yamaha T-Max. A aceleração é rápida, os 0 a 50 km/h são feitos em 2,6 segundos para esta versão, pouco menos para a versão limitada (2,7 segundos). Testamos a velocidade máxima e só chegamos aos 127 km/h marcados no painel. O modo Dynamic também administra bem a maior parte do freio motor e, portanto, também permite dosar bem a velocidade nas curvas das subidas de Barcelona. Apesar dos 231 kg de massa, a distribuição de peso é ideal, ao contrário do para-brisas, que é apenas simbólico acima de 50 km/h. Um último ponto sobre a marcha a ré, porque sim, ela está presente, é que pode ser engatada muito facilmente pressionando "R" no guidão esquerdo, e girando o acelerador: super prático! Autonomia que é real Declarada como 130 km, a autonomia informada pela BMW na ficha técnica da CE-04 parece ser tangível, mesmo brincando um pouco com os modos de condução. De fato, durante nosso test drive, percorremos 65,3 km a uma velocidade média de 28 km/h. Isto nos deixou com 44% do alcance restante, 49 km. Ou seja, um alcance de 115 km, em uma viagem onde de fato "abusamos" um pouco. Ao calcular o consumo exibido no computador de bordo de 7,3 kWh/100 km, encontramos um alcance de 122 km. Sem levar o desafio da condução ecológica a cabo, mas trabalhando com recuperação de energia pelo freio motor (sem regeneração com os freios) e com um uso mais "moderado" em condições diárias, há chances de que nos aproximemos dos 130 km prometidos! Conclusão Descendente direta da C-Evolution, a CE-04 assume orgulhosamente a tocha e continua sendo a única maxi-scooter com emissão zero no mercado. Tem também todos os trunfos para ampliar a distância com a (futura) concorrência: ótima aparência, dinâmica de condução irrepreensível, esportividade, tecnologia embarcada, autonomia de acordo com o uso diário e urbano... Isto é suficiente para fazer você esquecer os poucos pontos negativos, desde o desconforto do assento até o tamanho imponente. Mas o preço pode desencorajar. De fato, com um preço que parte 12 150 euros (mesmo preço para as versões A1 e A2), o equivalente a R$ 71.400 em uma conversão direta, a BMW CE-04 não é realmente acessível, mesmo com tudo o que ela entrega, mas não chega a ser um absurdo para os padrões europeus. Especialmente porque com certos subsídios é possível reduzir o preço em até 900 euros (R$ 5.300). A versão CE-04 PRO em nosso teste, que acrescenta manoplas aquecidas e um suporte central, entre outras coisas, sai por 13.320 euros (R$ 78.200). Mesmo com este preço, a BMW CE-04 tem um futuro brilhante. Embora só esteja disponível para os europeus no segundo trimestre, a BMW anunciou que já recebeu mais de 1.000 pedidos para 2022. Sempre mencionada nas apresentações recentes de veículos elétricos da BMW, a scooter CE-04 está sendo considerada para o Brasil, segundo o próprio CEO da BMW Group Brasil, Aksel Krieger. Com o avanço da ofensiva de mobilidade elétrica da marca alemã por aqui, novidades devem surgir em breve. Vamos acompanhar.

2 visualizações0 comentário